Auditando - Odibar J. Lampeao

Março 31 2009

Em 1992, o comité das organizações patrocinadoras da Treadway Commission (COSO) elaborou um relatório que ficaria como marco para o controlo interno - para o estabelecimento de sistemas de controlo interno e para a determinação da sua eficácia.

 

De acordo com o COSO, os três principais objectivos de um sistema de controlo interno são assegurar:

  • Operações eficientes e eficazes;
  • Relatórios financeiros correctos;
  • Conformidade com as leis e regulamentos.

O COSO também destaca cinco componentes essenciais de um sistema de controlo interno eficaz:

1. Ambiente de controlo. Estabelece a base para o sistema de controlo interno através do fornecimento de disciplina e estrutura fundamentais.

2. Avaliação do risco. Envolve a identificação e a análise pela gestão - não pelo auditor interno - dos riscos relevantes para o alcance dos objectivos predeterminados.

3. Actividades de controlo, ou políticas, procedimentos e práticas. Asseguram que os objectivos de gestão são alcançados e que as estratégias de mitigação dos riscos são implementadas.

4. Informação e comunicação. Suporta todos os outros componentes de controlo através da comunicação das responsabilidades de controlo aos empregados e através do fornecimento de informação que permita às pessoas o cumprimento das suas responsabilidades.

5. Monitorização. Abarca a supervisão externa dos controlos internos por parte da gestão ou de outras partes externas ao processo. Também pode consistir na aplicação de metodologias independentes (como procedimentos costumizados ou listas de verificação standard) por parte dos empregados envolvidos num processo.

Entre as vantagens das auditorias baseadas no COSO, podemos destacar cinco:

  • Eficácia. O teste de todas as cinco componentes de controlo COSO fornece uma base sólida para determinar o grau de garantia fornecido pelos controlos.
  • Eficiência. O enfoque numa categoria de objectivos COSO protege contra o problema de uma abrangência indefinida (algo que normalmente acarreta custos elevados).
  • Possibilidade de comparação. A utilização de uma framework de auditoria e de um sistema de avaliação comum permite a comparação entre controlos de de diferentes segmentos de negócio.
  • Comunicação. A integração de critérios COSO nas conversações com os clientes permite melhorar a sua compreensão dos conceitos de controlo.

Comité de auditoria. Os relatórios baseados na framework COSO ajudam a visualizar os pontos fortes e os pontos fracos do sistema de controlo interno

 

Fonte: http://www.sinfic.pt/SinficNewsletter/sinfic/Newsletter42/Dossier2COSO.html acedido a 31.03.2009

publicado por ojpeao às 13:32

Espaço promovido com o intuito de fornecer alguma informaçao aos interessados em Auditoria e Iniciantes no conhecimento da mesma. Especialmente para os estudantes que me têm como coordenador nesta área de conhecimento. Dúvidas, ojpeao@hotmail.com
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13
14

15
17
19
21

22
23
25
28

29


Os nossos recados, clique em enviar mensagem
Contador de visitas no Auditando
pesquisar
 
comentários recentes
Gostaria que artigos do meu site fossem publicados...
Gostei!
Em breve voltarei
Olá :)Este blog tem andado muito "sossegado", faz ...
O som e pessimo. Nao entendi uma palavra!
Muito obrigado,cumprimento
muito bom-dia ! Penso que em cada tema abordo se p...
RSS
blogs SAPO